24 DE MARÇO MOBILIZAÇÃO NACIONAL

 

Inês Ferreira
Centrais sindicais estarão participando no próximo dia 24 de março  de uma Mobilização Nacional. A mobilização também foi abraçada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Entre os organizadores está a CUT (Central Única do Trabalhador).
 As entidades preparam um manifesto nacional, que será divulgado nos próximos dias.

O movimento sindical e popular entende que o agravamento da pandemia exige uma resposta contundente. 

A orientação é para ficar em casa, sem trabalhar, mesmo se o trabalhador estiver em home office. Esvaziar as ruas no dia 24 será uma resposta a Bolsonaro, um negacionista que só prejudicou as medidas para o combate à pandemia.

Em matéria publicada no site da CUT, o presidente da entidade, Sérgio Nobre, afirmou que  no dia 24 é preciso pensar porque mais de duas mil pessoas estão morrendo por dia vitimas da Covid-19  e o Governo Federal ainda não criou sequer um comando nacional de combate à doença, não tem vacina em número suficiente para imunizar toda a população  e, depois de três meses, Jair Bolsonaro prometeu apenas para o mês que vem um novo auxílio emergencial em valor menor, para menos pessoas, que não garante a sobrevivência da população durante o isolamento e a pandemia, pontua.

Essa data tem que servir para orientar e chamar a população a refletir porque essa tragédia está acontecendo no Brasil.
 “O povo tem de saber que a falta de governo e a inexistência de planejamento central são responsáveis por essa crise sanitária, social e econômica que vivemos”, completa o dirigente.

Ainda segundo a CUT, a falta das políticas sanitárias e econômicas obriga a classe trabalhadora a ir para as ruas em busca de dinheiro para sobreviver e, com isso, se aglomerar nos locais de trabalho, no transporte coletivo, nas estações de trem e metrô e nos terminais e pontos de ônibus, ficando expostas à contaminação e morte.

“Enquanto isso, o presidente da República, que tem a obrigação de conduzir o país protegendo a população, a economia, o emprego e a renda, garantindo a sobrevivência, preservando a vida dos cidadãos e cidadãs, permanece inerte tanto no comando da economia quanto no enfrentamento à pandemia, além de sabotar medidas decretadas pelos governadores para reduzir as taxas de contaminação e de mortes”, afirma a entidade.

Representantes dos trabalhadores e dos movimentos sociais estão organizando atividades em diversas cidades do país, sempre respeitando o distanciamento social. Serão feitas panfletagens em praças públicas, terminais de ônibus, trens e metrô, carros de som com mensagens de alerta ao povo brasileiro; atos simbólicos; audiências públicas, além de carreatas mobilização nas redes sociais.
 

Orientações das entidades para participação dos trabalhadores

Em comunicado as entidades organizadoras afirmam que o Dia Nacional de Mobilização irá ocorrer no momento de maior gravidade da pandemia do covid-19 no Brasil. O sistema de saúde está à beira do colapso em todo o país e o número diário de mortes aumenta a cada dia. Nos aproximamos rapidamente da trágica marca de 300 mil vidas perdidas. Em meio a toda essa crise, o governo anuncia mais uma troca no Ministério da Saúde e prioriza, com sua base no Congresso Nacional, mais cortes no orçamento e menos proteção social ao povo.

Segundo o comunicado é urgente o  grito de revolta e indignação:

  • Em defesa da VIDA! 

  • AUXÍLIO EMERGENCIAL DE R$600 e PROTEÇÃO AOS EMPREGOS enquanto durar a pandemia, para que o povo possa sobreviver e enfrentar a fome e a carestia.

  • VACINA JÁ! Para todas as pessoas, em defesa do SUS.

  • FORA BOLSONARO! Pelo fim de um governo genocida que está matando o povo brasileiro pela doença e pela fome.

Prepare a mobilização na sua cidade:

  • Reúna a militância e as organizações que concordam com nossas bandeiras de luta e planejem as ações simbólicas, sempre respeitando as regras de segurança sanitária.

  • Divulgue a data, as ações e nossas bandeiras. Faça postagens nas redes sociais e no Whatsapp, cole cartazes ou lambes, fixe faixas em pontes e viadutos, use áudios para carro de som e/ou distribua panfletos na entrada dos locais de trabalho, em frente aos terminais e estações do transporte público e nos espaços comerciais do centro e dos bairros periféricos, façam projeções noturnas em prédios com datashow (projetaços), etc; (Veja aqui materiais de apoio e referência: http://bit.ly/diadeluta24m. Envie seu material para nós: [email protected])

  • Usem nas postagens em redes sociais de divulgação, mobilização e agitação para as ações do dia 24 a hashtag #DIA24pelaVIDA para que possamos dar visibilidade às ações programadas.

No dia 24 realize e participe de ações simbólicas e que chamem a atenção para nossas bandeiras:

  • Os trabalhadores devem ficar em casa nesse dia! PARE pela vida, pela vacina, pelos empregos, pelo auxílio emergencial de R$600 e por Fora Bolsonaro;

  • Se o seu trabalho não pode parar, leve as nossas bandeiras para dentro do local de trabalho: use carro de som, megafone, panfletos, adesivos, faixas, cartazes e a criatividade para dialogar e chamar a atenção dos trabalhadores, usuários, passageiros ou clientes quanto a urgência das nossas bandeiras de luta;

  • Realize manifestações simbólicas e com segurança sanitária em praças, pontos turísticos, em frente às câmaras municipais, assembleias legislativas, prefeituras, palácios de governo, tribunais, unidades de saúde para denunciar os crimes de Bolsonaro e cobrar ações de governadores e prefeitos para conter a pandemia e proteger o povo. Usem cruzes, panelas vazias, marmitas, velas, panos pretos, faixas, cartazes e outras formas criativas;

  • Pressione os gestores e parlamentares. Articulem audiências públicas, produzam cartas, manifestos e abaixo-assinados reivindicando ações de controle da pandemia, auxílio emergencial nacional e local e aquisição de vacinas. 

  • Organize a fixação de faixas ou colagem de cartazes e lambes em pontos estratégicos das cidades, façam projeções noturnas em prédios (projetaços) com nossas palavras de ordem;

  • Organize trancaços, com faixas e pixações dando visibilidade às razões da nossa mobilização;

  • Avaliem a organização de atos drive-in, com a reunião de caminhão de som e veículos garantindo o distanciamento das pessoas. Sugere-se as entradas das refinarias e distribuidoras da Petrobras ou grandes estacionamentos públicos.

  • Estimule e apoie as manifestações dos artistas locais com música, poesia, teatro, dança e outras linguagens através das redes sociais. Organizem lives, entrevistas ou rodadas de testemunhos da  população. Nossa luta tem rosto e é feitas de histórias reais;

  • Usem as redes sociais! Distribua e poste os materiais da campanha, mas também produza seu próprio conteúdo. Grave vídeos ou áudios com sua denúncia ou testemunho de como a pandemia tem impactado a sua vida e como essas condições estão relacionadas à conduta irresponsável de Bolsonaro e dos que lhe dão apoio;

  • Intensifiquem as ações de solidariedade, com coletas solidárias e distribuição de alimentos e marmitas;

  • Decore a sua janela! Demonstre a indignação desde a sua casa. Fixe cartazes, panos pretos, acenda velas, bata panelas, se tiver aparelho de som reproduza áudios desde a sua janela;

  • Registre as ações da sua cidade e nas quais você se engajar! Fotografe, filme e poste nas redes suas ações usando a #hashtag unitária do dia de mobilização que será divulgada em breve.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *