Filiados da velha guarda participam de eleição e provam fidelidade ao Sinthoresp

Inês Ferreira

A eleição do Sinthoresp (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis Bares Restaurantes de São Paulo), maior sindicato da categoria da América Latina, está evidenciando a fidelidade ao sindicato e a importância histórica da entidade na vida de muitos trabalhadores. Entre os filiados votantes, muitos idosos fizeram questão de participar da escolha da nova diretoria do sindicato, mesmo o pleito tendo chapa única.

A eleição teve início nesta terça-feira (15) e encerra quinta-feira (17).  São 26 locais de votação espalhados por 33 municípios, incluindo a Capital. A coordenação do pleito está sob o comando da Fetrhotel (Federação Interestadual dos Trabalhadores Hoteleiros de São Paulo e Mato Grosso do Sul), presidida por Cícero Lourenço Pereira.

Na manhã do segundo dia de eleição (16), no prédio do Sinthoresp, localizado na avenida Casper Libero, filiados antigos fizeram questão de participar do ato democrático. Segundo eles, isso fortalece a categoria e beneficia todos trabalhadores.

Entre os votantes da velha guarda, muitas histórias e recordações do início do Sinthoresp, na rua Taguá, na Liberdade. O aposentado José Felício Neto, 86 anos, associado ao Sinthoresp desde de 25/11/1988, saiu cedo de casa para cumprir a sua obrigação de cidadão e de filado do sindicato.

“Venho votar porque me orgulho de participar do sindicato desde sua fundação. Faço parte do sindicato desde quando tudo começou”, lembrou o aposentado.

Benefícios

 

Para o filiado Sidney Ribeiro da Silva 73 anos, a oferta de benefícios e o acesso ao lazer foram os atrativos para ele se filiar à entidade há 47 anos atrás.. Silva, foi recepcionista do Maksoud Plaza e diz que muitas vezes precisou dos serviços da entidade.

“Tive acesso a muitos benefícios nesses anos todos. Até hoje uso o sindicato. Uma das coisas que mais gosto é ir para a praia, pagando pouco”, contou o filiado.

Getúlio José de Paula, 71 anos, trabalhou no Hilton Hotel como controlador de vendas. Filiado desde 1980, ele disse que não poderia deixar de votar por que o sindicato faz parte da história de sua vida.

Outro que não escondeu o orgulho de ser sindicalizado foi Euclides Serverino da Silva,73 anos, filiado desde 1975.

“Se é bom precisamos continuar”, disse ele, enquanto depositava o voto na urna.

José Cicero de Aguiar, filiado desde1985, ao longo dos 71 anos, já participou de várias eleições. Conforme ele, desta vez não poderia ocorrer ao contrário. Saiu cedo de casa para garantir sua participação.

Mais jovem, em relação aos demais, o cozinheiro Claudemir de Brito, 63 anos, ostenta com orgulho que já têm 33 anos de filiado. Ele diz que ainda usa os serviços do sindicato e que tem “prazer” em votar.

“As vezes alguns colegas falam do mal do sindicato, eu costumo responder que eles estão errados. Mas tem gente que é cabeça dura. Não entendem que filiando ganhamos muita coisa em troca”, justifica.

Memória Afetiva

Ser filiado do sindicato há mais de 50 anos não é um privilégio apenas de homens.  Muitas mulheres também fazem parte dos que acreditam na força do sindicato e no poder de representatividade e de transformação de uma entidade sindical.

Antônia Domingos da Silva, 74 anos, tem 50 anos de filiada. Ela foi supervisora de hotel durante muitos anos e, hoje, estava votando.

Na mesa de votação ela foi recepcionada pela amiga Neuza dos Santos, 62 anos, filiada há mais de 40 anos, que também foi camareira, supervisora e governanta de hotel.

Curiosamente ambas têm em comum a mesma memória afetiva do Sinthoresp – as filhas, hoje com 50 anos, tiraram o primeiro dente de leite num consultório odontológico do sindicato.

Fidelidade

Para Cícero, coordenador da eleição, a fidelidade destes filiados, que deixaram suas casas e mesmo com dificuldade se dirigem a um local de votação, é um exemplo para os mais jovem e para todo o movimento sindical.

“Eles merecem todo o nosso respeito. Parabenizamos todos que vieram e virão até aqui nos prestigiar com seu voto”, disse Cícero.

Para Curdelino Alves de Deus, 72 anos e Romeu Cinelle, 85 anos, participar da eleição é uma forma de gratidão por tudo que receberam e recebem da entidade.

“Faço questão porque sempre tive a disposição ótimos médicos, dentistas. Sempre fui muito bem tratado aqui”, disse Curdelino.

“Cada ano que passa o sindicato fica melhor, conquista mais benefícios e direitos para os trabalhadores. Pagamos uma taxa pequena e recebemos muita coisa em troca. Vale a pena”, concluiu Romeo.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *